INTRODUÇÃO

Os distúrbios das hemoglobinas humanas, ou hemoglobinopatias são as doenças genéticas mais comuns em todo o mundo.

A hemoglobina é o transportador de oxigênio em hemácias de vertebrados. Sua molécula é um tetrâmero e cada subunidade compõem-se de uma cadeia polipeptídica, a globina, e um grupo prostético, o heme, um pigmento contendo ferro que se combina com o oxigênio e confere à molécula sua capacidade de treansportar oxigênio.

Na hemoglobina adulta normal as cadeias de globina são designadas a e b. As quatro cadeias são dobradas e acomodadas juntas para formar um tetrâmero globular.

As cadeias a e b são codificadas por genes em lóci distintos:

Lócus ; no cromossomo 16
Lócus ; no cromossomo 11

Além da HbA existem outras cinco hemoglobinas humanas normais. Há mudança de expressão dos vários genes durante o desenvolvimento humano:

Período do desenvolvimento:

DISTÚRBIOS GENÉTICOS DA HEMOGLOBINA

Dividem-se em três grandes grupos:

  1. Variantes Estruturais
    Alteram o polipeptídeo da globina sem afetar sua taxa de síntese.

  2. Talassemias
    Há uma redução da síntese de uma ou mais das cadeias de globina, desequilibrando as quantidades relativas das cadeias .

    Nas talassemias, a mutação reduz o nível de síntese da cadeia a ou b. A redução leva a uma distorção da proporção de cadeia :.

    A cadeia que é produzida na taxa normal está em excesso relativo; na ausência de uma cadeia complementar com a qual possa formar um tetrâmero, as cadeias normais em excesso precipitam-se na célula, lesando a membrana e provocando destruição prematura da hemácia.

    Dois grupos principais de talassemias são definidos:

    -talassemias: a síntese da cadeia é reduzida ou ausente.
    -talassemias: há o comprometimento da síntese da cadeia b.

  3. Persistência Hereditária da Hemoglobina Fetal (PHHF)
    Os pacientes com deleções que deixam pelo menos um dos genes intactos têm uma apresentação clínica benigna denominada Persistência hereditária da hemoglobina fetal (PHHF). Os homozigotos são viáveis, pois os genes remanescentes permanecem ativos após o nascimento, em vez de se desligarem como ocorre normalmente. A síntese de Hb F continua após o nascimento em um nível alto compensando a ausência de Hb A.





    UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
    ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA
    Para informações, sugestões e críticas:
    Eletéa Tasso - eletea.cis@epm.br