Nictúria, Enurese, Urina Noturna

A eliminação de volume normal de urina durante a noite chama-se nictúria. Nictúria é a eliminação de volume aumentado durante a noite. Enurese noturna é a perda involuntária de urina durante o sono, numa idade em que o controle urinário já deveria estar presente (a partir dos 5 anos).
O volume diário de urina varia entre 800 a 1500ml, dependendo do volume de líquidos ingeridos, da temperatura corporal e ambiental e do esforço físico. Esse volume depende, também, de fatores hormonais, neurológicos, hemodinâmicos, psicosociais e culturais.
Normalmente a produção de urina obedece a um ritmo. Durante o dia, o volume urinário é de 2/3 e o noturno de 1/3, por exemplo, 1000ml de dia e 500 de noite. Após os 60 anos de idade o volume de urina diurno e noturno se equivalem (1:1). Quando esta relação se altera para mais durante a noite, é o caso da nictúria.
Como surge a nictúria?
A nictúria, que é o volume urinário aumentado durante a noite, pode ocorrer por várias causas: insuficiência cardíaca congestiva, diabete melito, diabete insípido, uso de diuréticos antes de deitar, edema de várias causas e insuficiência renal crônica.

Enurese Noturna

A enurese noturna caracteriza-se por micção involuntária recorrente que ocorre durante o sono.
Molhar a cama à noite depois dos cinco anos de idade, na ausência de patologia urológica, clínica ou mental, é considerado transtorno enurético primário. Tipicamente, a criança jamais consegue ter noites secas contínuas. Na enurese secundária, a criança tem pelo menos três a seis meses de cama seca. Os episódios enuréticos ocorrem durante todas as fases do sono, bem como durante despertares noturnos. A maioria dos episódios ocorre no primeiro terço da noite. O controle vesical durante o dia pode ser normal.
Os sonhos são vaga e infreqüentemente relatados com a micção, particularmente quando ocorre nas primeiras horas da noite. Tipicamente, o paciente sonha estar no banheiro; isto ocorre mais comumente com enuréticos de mais idade. Tais sonhos são iniciados depois do início da micção e não são eventos precipitantes.

Causas

Raramente, a enurese noturna pode ser um sintoma de doenças variadas como infecções urinárias, doenças renais ou distúrbios hormonais. No entanto, na grande maioria dos casos não se encontra nenhuma doença em particular. Nessas crianças parece haver um atraso do desenvolvimento do controle da bexiga. Algumas crianças têm bexigas de menor capacidade (bexigas pequenas) ou não conseguem reduzir a produção de urina durante o sono (o que deve ocorrer normalmente, graças à produção de um hormônio - o hormônio anti-diurético) fazendo com que não consigam "aguentar" a urina que produzem durante o sono. Outra causa possível é a de sono profundo. Acredita-se que algumas crianças que têm o sono mais pesado, não acordam quando a bexiga fica cheia. A certa altura o músculo da bexiga tem uma contração reflexa e leva à perda de urina.
A enurese noturna tem uma elevada incidência familiar, isto é, passa muitas vezes de pais para filhos. A relação da enurese com os problemas psicológicos ou afetivos, apesar de muitas vezes invocada, não parece estar fundamentada em nenhuma prova científica.

A enurese noturna é um problema pediátrico muito comum. Calcula-se que afete 15% das crianças aos 5 anos, 7% aos 10 anos, 3% aos 12 anos e 1% aos 20 anos. Embora frequente, muitas crianças com enurese noturna não são levadas ao médico por esse motivo.
A enurese noturna não tratada cura espontaneamente ao ritmo de 10-20% dos casos por ano. No entanto, 10% das crianças enuréticas vão manter a enurese na idade adulta se não forem tratadas.

Tratamento

A enurese representa um pesado fardo para a criança e para a sua família, não só por afetar a auto-estima numa idade em que ela é extremamente importante para o desenvolvimento da personalidade, mas também por que acarreta custos econômicos e sociais consideráveis, que vão aumentando com o crescimento da criança. Alem disso, a enurese pode limitar uma série de atividades comuns e importantes na infância, como dormir na casa de amigos, excursão da escola, campo de férias, torneios desportivos, visitas a familiares e outros. Algumas crianças com enurese podem ter anormalidades dos rins ou bexiga, tornando importante que a criança seja avaliada por um especialista para afastar a possibilidade de uma doença significativa. Por isso, este disturbio deve ser tratado.
Cada uma das causas tem o seu tratamento específico e requer o diagnóstico e o acompanhamento médico:

  • tratamento comportamental que envolve medidas que visam motivar a criança ou alterar hábitos que possam predispor à enurese;
  • evitar excesso de líquidos à noite;
  • urinar antes de se deitar.
  • Medicamentos para ajudar a controlar a micção.